Social Icons

twitterfacebooklinkedinemail

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Mulheres que Trabalham Demais e Não tem Apoio


Oi, tenho uma história muito conturbada e estou numa fase ruim do meu relacionamento, estou a 8 anos com uma pessoa, 3 anos de casamento, tenho uma filha e a 2 anos ele esta com um problema de saúde impossibilitado de trabalhar. Desde então venho pagando todas as despesas e sendo o mais compreensiva possível. A mais ou menos 2 meses estamos brigando todos os dias sem trégua, ele se tornou uma pessoa chata sem limite e implicante, reclama de absolutamente tudo, não posso fazer nada se me atrasar cinco minutos para chegar em casa é motivo de briga, se eu chegar e quiser assistir alguma coisa é motivo para mais discussão. Estou cansada de chegar em casa e me sentir em um inferno, mas ao mesmo tempo gosto dele e não consigo dar um basta nessa relação.
Nunca me senti tão infeliz e pior sem ter com quem desabafar, pois tenho problemas com a minha família que não aceitam o meu relacionamento por causa da diferença de idade, ele é mais velho que eu 11 anos.
Estou desesperada não sei o que fazer e nem como agir, estou muito confusa.


Sra. Amparo,
Você já ouviu o termo “arrimo de família”? É usado quando alguém assume as responsabilidades de manter, dar sustentação à casa. Até pouco tempo atrás esse papel era praticamente exclusivo as pessoas do sexo masculino, isso também mudou. Mudou o papel, não o sentimento.

O que me parece é que essa condição atual do seu marido o está levando para um sentimento de inutilidade. O homem naturalmente é provedor, mesmo aqueles que são chamados vulgarmente de “aproveitadores ou vagabundos” brigam constantemente com a condição por que algo internamente os empurra para produzir e prover. As mulheres “modernas” acham que é normal assumir esse papel, mas infelizmente é uma carga, uma característica que não está tão bem encaixada na natural estrutura do ser feminino.

As brigas constantes são um sinal amarelo sim, mas mais que isso, é um sinal que vocês estão invertendo papeis: questionar num relacionamento é um papel muito mais feminino, é a mulher que provoca para que o homem possa exercer o seu papel de conciliar, de apoiar. Você está tirando dele a força ao deixá-lo sem produzir. Tenho convicção que, ao não ser que o caso dele seja de total invalidez, ele pode fazer algo para contribuir de alguma forma nas questões da casa.
Talvez o momento seja difícil para que se discuta isso, mas você pode começar a colocar essa ideia no seu relacionamento. Por exemplo, você pode dizer que não conseguiu para uma determinada conta, deixe para ele pagar e não deixe o dinheiro, ele tentará resolver você vai ver, no minimo vai começar a se mexer.

Por outro lado sua queixa fala em não conseguir dar um basta, é por que parece que o amor permanece, vocês de alguma forma ainda se sentem atraídos, mas realmente a indisposição de papeis pode minar um relacionamento com muita agressividade, e é necessário muita paciência e carinho para mudar essa situação. Se há amor, traga-o de volta para a relação, se comprometa a não mais brigar, passe por cima disso (ao menos durante um tempo), procure dar algo que o agrade, se arrume pra ele, enfim ofereça algo diferente!

Agora, sua família te virou as costas e você diz por causa da diferença de idade. Todos fazem escolhas, sua família está fazendo a dela, você fez a sua, siga em frente. Essa diferença só existe na cabeça, as pessoas que se amam não se importam com isso, que de fato é uma grande besteira, uma necessidade estética criada pela sociedade para manter o controle econômico, não há nada nem de humano, muito menos espiritual nisso. Simplesmente esqueça, um dia eles voltam e saem dessa postura covarde de te negar apoio.

Coloque  foco em sua vida, no seu relacionamento, procure se equilibrar, e só depois pense em tomar uma decisão.

Fique bem!
Alexandre Santucci
Envie suas perguntas para  SeR no Divã (sernodiva@gmail.com)
Sigilo: seu nome não será publicado.

2 comentários:

Equipe Bola de Cristal do Amor disse...

Acho q tem q ver os dois lados da moeda, ela diz o q ela acha e ele?
sabendo o de ambos q resolve o caso a fundo!

Alexandre Santucci disse...

Sempre devemos ver os dois lados, mas nossa proposta trabalha com o relato que recebemos, infelizmente é unilateral e a resposta é dada a quem nos procura...
obrigado por nos ler.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...